Data Center Tier III: saiba o que é e qual a importância para sua empresa

Vital para o gerenciamento e armazenamento de dados e sistemas de uma empresa, o Data Center é o sistema nervoso da operação. E estruturas gigantescas como essa são projetadas para atender as diferentes demandas dos negócios em atividade no mercado.

Deste modo, encontramos Data Centers mais simples e outros mais complexos, sempre direcionados ao mesmo objetivo. Para determinar o melhor tipo para cada operação, essas instalações são classificadas em níveis, ou TIER.

Criada há mais de 25 anos, a classificação Tier elenca os critérios que um Data Center deve atender para se encaixar em cada nível (I, II, III e IV). Então, com base nessa informação e em normas específicas, o data center recebe uma certificação que atesta a qual Tier pertence.

A partir da informação conferida através da certificação, empresas, especialistas e profissionais de TI, conseguem reconhecer as características de funcionamento do Data Center. Avaliando, assim, qual modelo melhor atende às necessidades do negócio.

Nesse artigo, conheceremos mais sobre o Data Center Tier III, suas características, como funciona sua certificação e sua importância. Mas antes, entenderemos o que é o Data Center, os principais tipos, a definição e funcionamento da classificação Tier. Confira abaixo!

O que é o Data Center?

O Data Center, ou Centro de Processamento de Dados, armazena e gerencia os sistemas críticos e vitais para a operação do negócio. Trata-se de uma instalação física, onde são hospedados aplicativos, informações e dados essenciais da empresa.

Entre os principais componentes do Data Center estão roteadores, switches, firewall, sistemas de armazenamento, servidores e controladores de disponibilização de aplicativos. Logo, todo o design se baseia em uma rede de computação e armazenamento que garantem disponibilidade, e compartilhamento de dados.

A infraestrutura dessas instalações físicas mudou muito ao longo dos anos. Os Data Centers modernos já incluem a hospedagem em nuvem, ou seja, em ambiente virtual. Assim, se comunicam com diferentes locais, físicos ou na nuvem, públicos ou privados.

Tipos de Data Center

Enterprise

Enquanto tipo mais difundido, representa cerca de 70% dos Data Centers no mundo. Por ocupar um espaço delimitado na própria empresa, o modelo Data Center Enterprise facilita o controle sobre a estrutura. Mesmo demandando um custo maior com infraestrutura e manutenção.

Colocation

O grande diferencial desse modelo é o controle. Tudo que diz respeito ao equipamento próprio da empresa fica sob o controle da equipe. Enquanto, a conexão e o espaço físico são compartilhados com o provedor de serviço. Na prática, essa é uma ótima opção para as empresas, com alto investimento em equipamento, mas que não dispõe de lugar para crescer.

Internet (IDC)

Corresponde a grandes instalações que fornecem soluções de dados. Voltada, principalmente, para empresas menores que necessitam de conectividade rápida e operações ininterruptas, mas não podem instalar seu próprio Data Center. Esse modelo compõe novas tecnologias projetadas para dar suporte a diferentes setores, os mais conhecidos são os sistemas ERP e CRM.

Hyperscale

O tipo Data Center Hyperscale é usado por empresas que lidam com alto volume de armazenamento de dados em nuvem. Essa instalação oferece bastante espaço e energia, permitindo que serviços funcionem sem interrupção, mantendo a escalabilidade para atender as demandas dos usuários.

Edge

Modelo cuja procura mais cresce atualmente, Edge se refere a borda da rede e corresponde a uma instalação menor. Oferecendo uma resposta rápida aos dispositivos e usuários finais, é ideal para aplicações da Internet das Coisas (IoT) e serviços de streaming, dada sua baixa latência e agilidade de comunicação.

Como funciona?

A principal função dos componentes de um Data Center é o armazenamento e gerenciamento de dados e aplicações, mantendo sempre a segurança da informação. Todos esses serviços garantem o desempenho, a proteção e a integridade dos principais componentes. E são divididos em:

  • Infraestrutura de rede:  Responsáveis pela conexão de servidores físicos e virtuais, serviços de Data Center, armazenamento e conectividade externa;
  • Infraestrutura de armazenamento: Como o nome já revela, armazena os dados e informações valiosas para a empresa;
  • Recursos de computação: Executam o processamento, armazenamento local, memória e conectividade de rede. São os motores do Data Center;
  • Dispositivos de segurança de rede: Incumbido de preservar o Data Center, inclui o firewall e proteção contra violação de dados;
  • Disponibilização de aplicativos: Mecanismo que dá resiliência e disponibilidade a aplicação, usando failover automático e balanceamento de carga. Mantém o desempenho do aplicativo.

Importância do Data Center para a empresa

A maioria dos processos e operações, pessoais ou empresariais, são possibilitados graças aos Data Centers. Da internet que usamos para acessar redes sociais ou executar as atividades da empresa, todos os sistemas estão integrados a serviços instalados nesses locais.

Responsáveis pelo processamento de grande quantidade de informações, o Data Center possibilita as atividades de diversos setores da economia, abrigando servidores e bancos de dados. Por isso, os Data Centers ficam, normalmente, posicionados em locais estratégicos, com fácil acesso a redes de energia independentes. Protegidos contra incêndios e em ambientes refrigerados, para manter a temperatura estável (Inclusive, existe uma solução que se trata de resfriamento por imersão, que você pode ler mais sobre o assunto aqui: Resfriamento por imersão: o que é e como funciona?  A segurança também é robusta e o acesso é restrito.

O que considerar na hora de escolher um Data Center?

Entendemos ser pertinente elencar alguns critérios importantes de se considerar durante a escolha de um Data Center. Dado o valor que esse tipo de instalação tem para as atividades de uma empresa, a escolha deve visar a prevenção de riscos, perda de dados e prejuízos financeiros. Para tanto, verifique:

  • Seguridade da instalação física: a infraestrutura fornecida pelo serviço de hospedagem deve cumprir com os devidos níveis de segurança, normas e certificações específicas, além de disponibilidade na instalação física;
  • Telecomunicação: para garantir a atividade dos negócios dos clientes, o Data Center deve funcionar no período 24×7, ou seja, 24 horas e 7 dias por semana. Também deve oferecer ao menos dois fornecedores de rede de internet, para o caso de um deles cair. Por isso verifique a abrangência dos provedores de telecomunicação;
  • Operação: existem padrões mundiais que norteiam o funcionamento desse tipo de instalação e certificações quanto sua prática e processos, como a ISO 20000 e ISAE 3402. Confira essas informações e a qualidade das equipes que atuam junto ao Data Center.

O que é a Classificação Tier?

O Uptime Institute aplica a classificação Tier criada por ele há mais de 25 anos. Funciona como um tipo de certificação para o Data Center, que atesta seu desempenho e a confiabilidade das infraestruturas. Definida a partir de um conjunto de normas (ANSI/TIA/EIA-942) para parâmetros mecânicos, elétricos, arquitetônicos e de comunicação. Sempre direcionado a melhor execução do Data Center.

A palavra “tier” vem do inglês e significa “nível” e “camada”, assim o termo se refere aos níveis de certificação do Data Center: TIER I, TIER II, TIER III e TIER IV. Sendo que, cada nível tem um diferente grau de redundância dos sistemas de infraestrutura. Basicamente o:

  1. TIER I: Indicado para instalações pequenas e não críticas ao negócio. Não estabelece redundância de infraestrutura, nem requisitos básicos de provisionamento da infraestrutura. Isso significa que ele provê disponibilidade dos sistemas de TI, por conta da energia ininterrupta e backup. E, apesar de não conseguir manter os serviços durante manutenções preventivas ou corretivas, tem clima adequado aos equipamentos;
  2. TIER II: Há uma redundância mínima, capaz de aumentar a disponibilidade dos serviços de TI. Manutenções preventivas são feitas sem prejuízo, embora alguns serviços precisam ser interrompidos. Atende melhor às necessidades de instalações pequenas ou médias e situações mais críticas ao negócio, em relação ao anterior;
  3. TIER III: A redundância desse nível, comporta qualquer manutenção preventiva na infraestrutura sem exigir a suspensão de algum serviço crítico de TI. O Data Center de nível 3 é ideal para empresas cuja operação não para de rodar;
  4. TIER IV: Adequado para um Data Center principal, esse nível é tolerante ao maior número de falhas isoladas, como as que ocorrem no equipamento ou no caminho.

Como é feita a Certificação do Data Center?

O trabalho de certificação fica sob os cuidados do Uptime Institute, apesar dos parâmetros para certificação serem estabelecidos pela norma TIA 942 (Telecommunications Industry Association). Essa norma dispõe sobre o que é aconselhável para a segurança de um Data Center, entretanto, os critérios para certificação são determinados pelo instituto.

Em geral, a Uptime Institute considera:

  • Desempenho: considera quanto atende aos requisitos de disponibilidade, redundância e tolerância a falhas;
  • Neutralidade em relação a tecnologias: não dependência a um padrão tecnológico, estando sempre aberto ao novo;
  • Independência de fornecedores: avalia quaisquer dependências da estrutura ao fornecedor;
  • Flexibilidade: deve possibilitar que a empresa atenda livremente as normas locais;
  • Ciclo de vida: referente às necessidades do Data Center, avalia todas as suas funcionalidades.

O que é o Data Center Tier III?

O nível 3 da certificação TIER do Data Center não é para qualquer instalação, trata-se de um equipamento de ponta, sustentado por vários componentes. Munido de redundância na alimentação de energia, do tipo N+1, e peças para refrigeração, o Data Center Tier III tem um componente para backup, aumentando a segurança dos dados armazenados.

Tais dispositivos de backup ficam dispostos de modo a permitir manutenções sem a necessidade de desligar o Data Center, a chamada manutenção simultânea. Quanto à infraestrutura N+1, as operações de comunicação, energia e refrigeração, funcionam redundantemente em duas salas distintas.

Para facilitar o entendimento, é como se o Data Center tivesse um duplo posicionado ao seu lado. Conta com a mesma infraestrutura, fontes de energia, refrigeração e comunicação, com exceção da parte de processamento e armazenamento.

Segurança do Data Center Tier III

Os servidores do Data Center Tier III são alimentados por circuitos elétricos, roteadores de internet, no breaks, ar-condicionado e geradores. Todos funcionando em uma sala próxima. Isso significa que, se um lado apresentar falhas, o outro ainda fornecerá toda a infraestrutura necessária para continuar operando.

É por esse motivo que, os Datas Centers dessa classificação, não devem ser instalados em prédios comerciais. O ideal é que funcione em um prédio próprio, principalmente para mantê-lo seguro e distante de riscos de incêndio.

Outra vantagem em instalar um Data Center Tier III em um local próprio é poder fornecer uma alimentação de energia a um lado, enquanto o outro é abastecido através de um telecom independente. Assim, aumenta-se a segurança da infraestrutura, garantido que se a energia elétrica for interrompida, o outro lado estará operante.

Além disso, quando a instalação está em um prédio próprio, independente e seguro, os geradores e área de diesel são alocados na área externa. E, claro, isso minimiza o risco de incêndios.

Cuidados necessários

Para garantir que a infraestrutura está operando adequadamente, é recomendado realizar testes de redundância anualmente, para cada lado. Para tanto, uma das partes é desligada, normalmente isso é feito de madrugada, em horário de menor uso e avisado, com antecedência aos usuários.

Durante o teste, verifica-se o funcionamento dos equipamentos de refrigeração, alimentação de energia elétrica e telecom. O intuito é observar se operam de modo seguro e independente do outro lado que está desligado. Ambas as partes são testadas no mesmo dia, após o restabelecimento da parte que foi inativada.

Quais os critérios para a certificação Tier III?

  • Equipamentos redundantes;
  • Capacidade de manter a alimentação de energia;
  • Preservar a climatização;
  • Possibilitar a manutenção concorrente;
  • Ter alta disponibilidade;
  • Proteção de 72 horas contra quedas de energia;
  • Downtimes de até 1,6 por ano.

Benefícios do Data Center Tier III:

  • Manutenção simultânea, sem afetar o funcionamento;
  • Confiabilidade;
  • Segurança;
  • Escalabilidade;
  • Alta disponibilidade.

Importância do Data Center Tier III para a empresa

Sem dúvida, a principal importância do Data Center Tier III para sua empresa é a alta disponibilidade oferecida pela infraestrutura. Por meio dela, sistemas e dados são acessados em tempo integral, possibilitando que o negócio mantenha plataformas online, sem prejuízo a operação.

Esse tipo de estrutura permite que a equipe acesse os dados e os sistemas remotamente, inclusive a partir de dispositivos móveis. O mesmo vale para empresas que oferecem serviços e/ou produtos via web, com um Data Center Tier III os negócios permanecerão disponíveis online para os usuários.

Gostou do conteúdo? A OTG é especializada em serviços de TI, voltados para Data Center. Nos envie uma mensagem e saiba mais.